Acerca de mim

A minha foto
"Com pequenas variantes, era um dia como todos os outros, até que bateste levemente na porta e inundaste a minha sala com a água clara dos teus olhos e salvaste a minha vida com um filtro mágico do teu sorriso e acendeste o mundo com o outro da tua trança semidesfeita e disseste, venho saber no que posso ajudá-lo, o meu nome é Inês."

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

SAUDADES

Amo-te tanto inha Filipa. Há pouco tempo é que aceitei que tinha de te ter longe para te ver um pouco mais feliz.
Obrigada por seres a melhor irmã que eu poderia ter, por estares sempre presente, por me ouvires, por me aturares, agora, até já, por me transportares para todo o lado, por suportares as minhas parvoíces, asneiras e coisas estúpidas.
Por vezes, sei que te magoo e tu sabes que há momentos em que me magoas também. Não te sei desculpar por uma simples razão: porque nunca precisei de o fazer, estar bem conitgo é uma coisa natural, que nunca vou querer perder.
Tenho saudades tuas, do teu mau humor matinal, dos teus "deixa-me dormir, cala-te" e "apaga a luz", de quando eu te chamava e tu respondias logo "daqui para aí é tão longe como daí para aqui", de quando me fazias os trabalhos de matemática, de quando eu te chamava só para me fechares a porta do quarto, e de tu fazeres o mesmo, de dormir nas tuas pernas na sala de espera do dentista, de te pedir muitos lanches à pala, de lavar os dentes ao teu lado e do teu sorriso e da tua força quando alguma coisa me corria mal, quando dizias com convicção que na próxima vez ia ser diferente.
Alguns conselhos que ignorei, e mais tarde pus em prática, são aqueles que fazem de mim auqilo que sou hoje.
Obrigada Filipinha, amo-te tanto!

não saberia não te querer (...) não saberia não te ter.

2 comentários:

Cherry Blossom Girl disse...

Hmm, é a tua irmã, certo? :)
Essas saudades de que falas...,sei bem o que isso é!
O primeiro ano em que fui para a universidade - foi a primeira vez em que saí de casa (e fui a primeira a sair!) - não foi nada fácil. Mas, como tudo na vida, é uma questão de hábito. As pessoas habituam-se e acaba por ser normal, mas não quer dizer que não se sintam sempre saudades!
E agora, que saudades dos tempos da universidade!...
Ainda que as saudades (me) custem sempre, têm sempre com elas um aspecto positivo ;)
Beijinhos :)*

Filipa Vaz disse...

oh :')
deixas-me sem palavras amor...
fazes tanta falta, que nem imaginas.

amo-te do fundo do coração :D

Obrigada por dares côr a cada um dos meus dias
És linda, linda, linda!