Acerca de mim

A minha foto
"Com pequenas variantes, era um dia como todos os outros, até que bateste levemente na porta e inundaste a minha sala com a água clara dos teus olhos e salvaste a minha vida com um filtro mágico do teu sorriso e acendeste o mundo com o outro da tua trança semidesfeita e disseste, venho saber no que posso ajudá-lo, o meu nome é Inês."

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

nitidamente nostálgica

antes, quando ficávamos juntas, falavámos das horas e dos minutos, da hora que mais gostávamos. e hoje aqui estou eu para vos dizer que todas as horas são imperfeitas se não estão. quero mais daquelas fotos e vídeos no telemóvel, quero ouvir de novo o que dizíamos, quero saber de novo tudo o que nos fazia rir.
às vezes sento-me num banco, ainda nos ouço a rir, naquelas tardes de verão, nas manhãs insuportáveis de inverno. sempre as mesmas queixas, sempre os mesmos desejos, de ir para a cama e dormir ao lado de um aquecedor. e bebíamos um café quentinho...
fecho os olhos e sinto de novo as nossas bolachas na boca, ainda vejo as moedas de 50cnt em cima da mesa, consigo, mesmo, rir-me do nojo em que a mesa ficava.
e tenho saudades das discussões, das conversas sérias, das conversas fúteis!
é de noite que ainda me encontro com vocês no café de paredes vermelhas, porque é disso que tenho mais saudades. já lá fui várias vezes sem vocês mas sempre que entro ainda nos vejo lá às quatro, nos lugares habituais, estamos lá a rir, com todas as cadeiras à volta cheias de malas, roupas.
às vezes íamos lá só por um minuto, não interessava, tínhamos de ir.
nunca mais lá voltámos mas nós continuamos lá, como a nossa amizade, será para sempre, senti-la-ei sempre, mesmo que não vos veja, mesmo que não estejam vocês estarão sempre lá e no meu coração.

amo-vos *

3 comentários:

Maria Miguel disse...

Ontem larguei uuma lágrima do canto do olho por pensar nisso tudo, tentei escrever uma mensagem, mas as palavras não chegaram.
Vocês sabem o que sinto, o que vejo em cada uma de vocês, o que gosto e não gosto nos vossos feitios, do que tenho mais saudades, e sabem que não me canso de dizer que vos amo, incondicionalmente, nem que seja a tantos quilometros de distância. Tal como estamos sempre as quatro entre essas quatro paredes vermelhas, vocês estão sempre aqui, mesmo ao meu lado :)

um beijinho no coração quentinho de cada uma *

coisas que acontecem ou não disse...

O teu post fez-m lembrar tb a mim mta coisa q fiz, e n ha mt tempo atras, q m deixou gratas memorias, lembro-m das saidas a noite com a malta, das bebedeiras. Nao sei s leste, mas logo nos inicios, quando comecei este blog, falei sobre isso. Foram tempos loucos, mas q m ensinaram mt e m tornaram no q sou hj. E hj, hj olho pra mim e vejo-m mais velho, mais calmo, maduro, a minha vida mudou, mas as memorias essas ficarão até ao fim dos meus dias.

Obrigado por me teres feito, também recordar os meus momentos idos.

Beijoca

a sem cerebro x) (dedicado à maria) disse...

ó ines, adorei! tenho saudades de comer poker, quando voltamos?